Entidades dos servidores rejeitam contraproposta do governo

Notícias

Entidades dos servidores rejeitam contraproposta do governo

Nesta última terça-feira (07) ocorreu mais uma rodada de negociações com o Ministério do Planejamento. A reunião convocada pela Secretaria de Relações do Trabalho (SRT) do ministério tinha como objetivo conhecer a posição das entidades representativas dos servidores públicos federais diante da proposta oferecida pelo governo no final de maio.

As entidades se manifestaram pela rejeição da proposta, sustentadas por assembleias realizadas com seus respectivos servidores. Os argumentos para a recusa tiveram por base:

  • O fato de o governo não reconhecer as perdas salariais apontadas pelas entidades (27,3% no período correspondente a julho/2010 – dezembro/2015);
  • Os baixos índices de reajuste propostos para os próximos quatro anos, baseados em projeções otimistas de mercado para a inflação durante o período de vigência do acordo (quatro anos), sem previsão de instrumentos de revisão e repactuação dos índices propostos; e
  • A ausência de propostas para as demais reinvindicações gerais (benefícios, regulamentação da Convenção 151 da Organização Internacional do Trabalho – OIT, entre outras) assim como de agenda para as reivindicações específicas em mesas setoriais.

As entidades do Ciclo de Gestão complementaram a argumentação se posicionando de forma realista e responsável diante do cenário macroeconômico. Além disso, reforçaram sua posição pela revisão dos critérios de ocupação de cargos de direção e assessoramento superior (DAS), defendendo a exclusividade para os servidores de carreira e demonstrando que isso contribuiria para a adequação das despesas com a folha de pagamento.

O secretário Sergio Mendonça da SRT manifestou-se ao final das intervenções das entidades, defendendo a proposta do governo e classificando-a como “razoável e consequente”. Afirmou ainda que a negativa das entidades seria levada ao conhecimento do governo para avaliação e que se seguiria a isso o agendamento de nova rodada de negociações.

A Afipea reitera sua posição de rejeição da proposta e seguirá respaldada por decisão tomada em assembleia, atuando coordenadamente com as entidades que integram o Ciclo de Gestão.