Covid-19 pode provocar recuo de até 11% no PIB e mais 14,7 milhões de desempregados

Notícias

Covid-19 pode provocar recuo de até 11% no PIB e mais 14,7 milhões de desempregados

Coordenado pela professora Esther Dweck, do Instituto de Economia da UFRJ, o estudo “Impactos macroeconômicos e setoriais da Covid-19 no Brasil” traça três diferentes cenários para a economia brasileira: otimista, referência e pessimista. Todos apresentam efeitos perversos sobre o PIB, emprego, renda e arrecadação de impostos. E todos mostram efeitos perversos

O cenário otimista estima um recuo de 3,1% do PIB. O de referência apresenta uma queda de 6,4%. No pessimista, o índice chega a 11%. Em termos emprego, a redução de ocupações são estimadas, respectivamente, em 4,7 milhões, 8,3 milhões e 14,7 milhões. O declínio da força de trabalho pode ser consequência tanto da demissão de trabalhadores quanto da diminuição das horas trabalhadas, com impactos sobre a massa salarial.

A pesquisa utiliza modelo desenvolvido com base na matriz de insumo-produto, o que permite avaliar tendências no consumo, exportações e investimentos desagregados em 123 bens e serviços e apresenta os resultados para agregação em 12 setores produtivos, com base na classificação das Contas Nacionais do IBGE. Os setores de construção, indústrias extrativas, indústria de transformação e comércio estão entre os mais afetados.

Clique para acessar o estudo na íntegra.