AGE para debater proposta de reestruturação do Ipea delibera por maior participação dos servidores nos rumos do Instituto

Notícias

AGE para debater proposta de reestruturação do Ipea delibera por maior participação dos servidores nos rumos do Instituto

Um grande número de servidores compareceu à assembleia convocada para discutir proposta de reestruturação

Na última quarta-feira (26/10) a diretoria executiva da Afipea reuniu-se com afiliados e demais servidores do Ipea em Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para discutir a proposta divulgada por meios não oficiais, “O Brasil precisa pensar o futuro: por um think-tank capaz de contribuir para os grandes desafios do país”, a qual prevê, entre outras ações, a criação de um Conselho de Administração e um Conselho Científico, e a divisão do Instituto em “Ipea Pesquisa e “Ipea Projetos”.

A reunião, que contou com videoconferência para o Rio de Janeiro, teve a presença massiva de servidores interessados nas discussões sobre o tema proposto. O auditório Divonzir Gusso foi cenário de inúmeras inquietações e questionamentos sobre o futuro do Ipea. No total 109 pessoas estiveram presentes na AGE.

64464465454

A Assembleia foi conduzida pelo presidente em exercício, Lucas Benevides, que iniciou lendo o projeto que pautou o encontro e contextualizando os presentes sobre os motivos que incentivaram a realização da reunião. Em seguida, o diretor jurídico Almir de Oliveira Junior apresentou parecer que avaliou a proposta sob o ponto de vista de sua aplicabilidade e possíveis obstáculos legais que o projeto enfrentaria. O vice-presidente regional, Salvador Werneck Viana, por sua vez, leu manifesto de ex-presidentes da Afipea acerca da proposta de reestruturação em pauta.

Após as considerações de todos que desejaram expor suas opiniões, foram colocadas em votação, e aprovadas pela maioria dos presentes, duas ações a serem tomadas pela Afipea, a saber:

  1. elaboração de documento em nome dos servidores do Ipea, a ser entregue à Presidência do Instituto, solicitando transparência nos processos decisórios da instituição e participação dos servidores e da Afipea nos debates sobre o futuro do órgão;
  2. a criação de um Grupo de Trabalho (GT), composto por servidores da Casa, para realizar um diagnóstico da situação atual do Ipea, com intuito de embasar a tomada de decisões que afetem o futuro do Instituto.