União dos movimentos da sociedade brasileira em defesa dos direitos e da democracia

União dos movimentos da sociedade brasileira em defesa dos direitos e da democracia

União dos movimentos da sociedade brasileira em defesa dos direitos e da democracia

Geraldo Montenegro Said

Que interessante esses textos que tratam dessa matéria, parece até que é de verdade, mas não passam de contos de bruxas, porquanto, afirmar que as críticas ao atual governo uniram segmentos diversos da sociedade, isso é verdade só em parte uma vez que se faz necessária uma pequena correção como descrevo abaixo:

– A união desses segmentos da sociedade não ocorreu por conta do atual governo, ela já existia desde antes das eleições, constituída pelos partidos de esquerda, imprensa podre, grande parte dos servidores púbicos, sindicatos, associações esquerdistas, entre outros segmentos que constituem de longa data esse grupo nefasto e de oportunistas. Isso se dá simplesmente porque esse submundo político não aceita a derrota nas urnas. Simples assim.

Por sua vez, a afirmativa de que “Uma crise política profunda e a má condução da atuação federal durante a pandemia de Covid-19 fizeram setores diversos da sociedade se unirem por meio de manifestos públicos e artigos”, não é verdadeira. Essa afirmativa demonstra um profundo desconhecimento das medidas propostas pelo atual governo, além de uma deliberada distorção dos fatos, senão vejamos:

A profunda crise a que o texto se refere não é consequência das medidas propostas pelo governo federal, é consequência direta:

(i)           da decisão do STF em autorizar que cada Estado e Município adotassem e conduzissem suas políticas de combate à pandemia sem qualquer obediência às diretrizes do governo federal, isso virou um OBA OBA;

(ii)          dos governadores e Prefeitos esquerdopatas e oportunistas que tentaram e ainda tentam de qualquer forma tirar proveito da crise, inclusive, determinando que a qualquer óbito seja atribuído como causa mortis o COVID-19, apenas para tirar proveito financeiro (uma indecência);

(iii)         dos Presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal que juntos com políticos inescrupulosos trabalharam na contramão dos interesses da sociedade, ora não pautando propostas do governo, ora criando Fundos descabidos.

Afirmar também que ”A defesa de direitos e da democracia é o tema principal, envolvendo categorias como juristas, militares, procuradores, servidores públicos e inúmeras entidades e personalidades da sociedade civil”, é verdade e necessário, entretanto, essa iniciativa é de todos, inclusive do Governo Federal, aqui não existe nenhuma novidade. O que falta é incluir nesse parágrafo de defensores dos direitos e da democracia, o próprio Governo Federal.

É uma questão de justiça, porque, de um lado, o governo tem sistematicamente dado provas da defesa à democracia apesar de taxarem-no como autoritário ao, por exemplo, defender o direito da população civil possuir armas, a total liberdade de imprensa (mesmo sendo o mais atacado), a redução do tamanho do Estado e o livre mercado, e, de outro lado, nem sempre os segmentos alardeados têm feito tantas defesas assim.

Aparentemente, o atual governo se inspirou nas lições de nomes como Friedrich Hayek e Ludwig Von Mises, para defender tais bandeiras, as quais são arduamente criticadas por ideologias esquerdistas que geralmente tendem ao controle de armas e informações pelo Estado, economia planificada e Estado grande e intervencionista, com seus tentáculos em todas as áreas da sociedade.

Todas essas características podem ser observadas de um lado em países como os Estados Unidos da América e, de outro lado, em países como Venezuela, China e Coréia do Norte.

Para comprovar o comentário acima, relato abaixo o comportamento atual de instituições e segmentos da sociedade brasileira.

 (1) o STF não tem feito outra coisa a não ser demonstrar seu desejo tirânico de pretender conduzir o país, em parte, interferindo nas competências de outro Poder e, de outra parte, soltando bandidos e os protegendo, afora outras aberrações. Pergunto: isso é defender direitos e democracia?;

(ii) o Poder Legislativo, tanto a Câmara dos Deputados e o Senado Federal, aprovando medidas absurdas com vistas a destruir a economia brasileira e defendendo políticos comprovadamente bandidos, a nível estadual e municipal e sem dar qualquer respaldo às iniciativas do Governo Federal. Isso é defender direitos e democracia?

(iii)os segmentos desse submundo, ANTIFAS por exemplo, promovendo badernas, saqueando lojas, desrespeitando pessoas, entre outras barbaridades, e ainda sendo defendidos pela imprensa podre, silêncio absoluto do STF e outras autoridades da turminha. Isso é defender direitos e democracia?

Quanto aos manifestos relacionados, todos defendem os direitos e a democracia, até porque não fazem nada mais do que suas obrigações, com ressalva apenas ao último, a tal Nota Pública “A Comissão Arns de Direito Humanos – Comissão Arns”, mas essa comissão, sinceramente, prefiro não tecer comentários, porquanto pra chegar a defender as atuais decisões do STF é muito difícil, só mesmo essa comissão.

É o que penso.